08/05/2017

Antes que o assunto arrefeça e, efectivamente, (mais) ninguém se mate, ou a comunicação social decida se se trata de um mito urbano — ou rural —, tenho a declarar à blogobola que, também eu, jogo Baleia Azul todos os dias

Aliás, se pensar nisso bem a fundo, não afundo em disparate nenhum, pois que chego à conclusão que até posso ter sido eu a inventar o jogo da Baleia Azul, blogosfericamente falando. 
Todos os dias — todos! — tenho a minha "hora de cortar os pulsos", que é aquele momento em que vou consultar/espreitar/invadir um blog ou dois, com o mesmo desvelo e amor do ódio de estimação, mas em profundo. Então, golpeio-me.
(Calma, claro que não é nenhum dos que frequento publicamente e que fizeram parte da minha lista da barra lateral — que apaguei, mas refarei —, pois estas coisas fazem-se na privada, na calada, na cobarda.) (Com limites, já que nunca comentei em nenhum deles. Se o fizesse, seria com este meu perfil azul e belíssimo, uma vez que, quando parto para o estalo, gosto de dar a cara. Tenho a mania que sou vertical, ou lá o que é.)
Vocês, se calhar, não fazem isso, mas eu sou assim, quase toda psicobólica, e preciso de me enervar um bocadinho todos os dias. Sento-me ao computa, ou abro os ditos no telemóvel, e pronto, purgo a raiva, a neura, o ataque de fúria que não tive e contive (alguns há cerca de vários anos). É o meu corte de pulsos diário, a minha caixa de gritos, o meu boneco de pancada.
(Muito obrigada a todas as que alimentam esses espacinhos de catarse e psicoterapia gratuita.)
Conforta-me a ideia de que haja quem faça o mesmo com este meu coiso. Sirvam-se, que também é para vocês que escrevo assim. Cá abraço apertado. (Não.)

(este gif roubei da nettinha, que eu não sou loira nem tão nervosa.)

6 comentários:

  1. Enquanto a Linda Blue expurga a raiva com palavras, "os outros" jogam a baleia azul e matam-se.
    há uma diferença!
    E depois a coisa tem a ver com perfis psicológicos tipo aqueles que se "cortam" para diminuir a dor de ser quem são. Tipos de jovens torturados e terrivelmente deprimidos.
    não achei graça à comparação: não sou loira nem burra...
    digo tudo aquilo que penso e não "engraxo" ninguém.
    Smile to you too :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Resta saber se isso é mesmo verdade, ou se andamos cá todos a temer pelos nossos filhos em cima de um mito internético. Aguardemos.
      Eu escrevi "burra" aonde? Escrevi "não sou loira nem tão nervosa", porque, efectivamente, não sou loira (não fosse alguém pensar que se tratava de um autogif), nem atinjo aquele estado de nervos.
      E também não engraxo ninguém, simplesmente não papo gente que finge ser aquilo que não é.
      Smile, KK.

      Eliminar
    2. até pode ser uma notícia falsa, coisa assaz vulgar nos intermédios jornalistas aberrantes da nossa televisão tuga. acontece!
      KK

      Eliminar
    3. A ser falsa, não se confina aqui ao Portugalinho. Felizmente, a ignorância não é endémica do rectângulo. Espalha-se e disfarça-se um pouco por todo o lado.

      Eliminar
  2. É necessário existir estes jogos pois a população mundial está a crescer demasiado :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vou fingir que não percebi a conotação :P

      Eliminar